Ictiofauna do rio da Prata (microbacia do rio Aporé, bacia do rio Paranaíba). DOI: 10.7902/ecb.v3i1.7

Resumo

O rio Aporé é um dos principais afluentes da margem direita do rio Paranaíba nas divisas dos estados de Goiáse Mato Grosso do Sul e apresenta uma fauna característica da bacia do Alto Paraná. Os Estudos de peixes nabacia do rio Paranaíba são muito escassos na porção goiana. O presente trabalho teve por objetivo inventariara ictiofauna de peixes do rio da Prata, na sua confluência com o rio Aporé, no município de Aporé, GO. Para arealização do inventário foram utilizados métodos de coletas quantitativos e qualitativos. Foram capturados306 indivíduos, distribuídos em 30 espécies, 20 gêneros, 13 famílias e 5 ordens. Os resultados contribuempara o conhecimento da ictiofauna da bacia rio Paranaíba no trecho goiano. Porém estudos científicosmais aprofundados na região ainda são de extrema importância para se traçar estratégias de conservaçõesadequadas.

Texto completo:

PDF

Referências

Agostinho AA, Thomaz SM, Gomes LC. (2005) Conservação da biodiversidade em águas continentais do Brasil. Megadiversidade, 1(1): 70-78.

Benedito-Cecílio E; Agostinho AA, Júlio Junior HF, Pavanelli CS. (1997) Colonização ictiofaunística do reservatório de Itaipu e sua área adjacentes. Revista Brasileira de Zoologia, 14(1):1-14.

Drummond GM, Martins CS, Machado ABM, Sebaio FA, Antonini Y. (2005) Biodiversidade em Minas Gerais. Belo Horizonte, MG: Fundação Biodiversitas, 222pp.

FialhoI, AP, Oliveira, LG, Tejerina-Garro, FL, Gomes, LC. 2007. Fish assemblages structure in tributaries of the Meia Ponte River, Goiás, Brasil. Neotropical Ichthyology, 5: 53-60.

Froehlich O, Vilele MJA, Cavalarro MR, Cordeiro LM (2006) Inventário da ictiofauna no Complexo Aporé-Sucuriú. In: PAGOTO TCS SOUZA R. Biodiversidade do Complexo Aporé-Sucuriú: subsídios à conservação e ao manejo do cerrado. Campo Grande, Mato Grosso do Sul: EDUFMS, p. 91-102.

Langeani F, Buckup PA, Malabarba LR, Pydaniel LHR, Lucena, CAS, Rosa RS, Zuanon JAS, Lucena, ZMS, Britto MR, Oyakawa OT, Gomes-Filho, G. (2009). Peixes de Água Doce. In: Rocha, RM, Boeger WAP. Estado da Arte e perspectivas para a Zoologia no Brasil. Curitiba, Paraná: Editora da UFPR. 209-230pp.

Langeani F, Castro, RMC, Oyakawa O, T, Shibatta AO, Pavanelli, CS, Casatti L. (2007) Diversidade da ictiofauna do Alto Rio Paraná: composição atual e perspectivas futuras. Biota Neotropica, 5(1): 75-78.

Lowe-Mcconnel RH. (1999) Estudos ecológicos de comunidades de comunidades de peixes tropicais. São Paulo, SP: EDUSP, 535pp.

Lundberg, JG, Marshall LG, Guerrero, J, Horton, B., Malabarba MCSL, Wesselingh, F.(1998) The stage for Neotropical fish diversification: A history of tropical South America rivers. In: Malabarba LR, Reis RE, Vari, RP, Lucena ZMS, Lucena, CAS. Phylogeny and Classification of Neotropical Fishes. Porto Alegre, Rio Grande do Sul: Edipucrs, 603p.

Nogueira C, Buckup PA, Menezes NA, Oyakawa OT, Kasecker TP, Ramos-Neto MB, SILVA JMC. (2010) Restricted-Range Fishes and Conservation of Brazilian Freshwaters. Plos-One, 5(6):1-10.

Pavanelli CS, Graça WJ. (2007) Peixes da Planície de Inundação do Alto Paraná e áreas adjacentes. Maringá, PR: EDUEM, 241pp.

Pavanelli CS, Graça WJ, Zawadizki CH, Britski HÁ, Vidotti AP, Avelino GS, Veríssimo S.(2007) Fish from the Corumbá Reservoir, Paranaíba River drainage, upper Paraná River basin, State of Goiás, Brazil. Check List, 3(1): 58-64.

Stevaux JC, Santos ML. (1998) Palaeohydrological changes in the upper Parana river, Brazil, during the late Quaternary: A facies approach. In: BENITO, G, BAKER, VR, GREGORY, KJ. Palaeohydrology and environmental change. John Wiley & Sons, London, pp273-288.